sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Aos 41

Hoje ultrapassei o limite das quatro décadas.
Tenho sido agraciado com os cumprimentos de muitas pessoas de bem, pessoas que gostam de mim e que resolveram se expressar e apresentar-me seus desejos de paz e felicitações.
Analisando friamente, ter completado 41 anos não me fez muitas mudanças. Na verdade hoje foi interessante que a mesma pessoa que me deu as melhores felicitações pela manhã foi a mesma que disse algo que me magoou à tarde. Talvez eu tenha pedido por isso, mas enfim é algo pessoal não quero comentar detalhes.
Quero ponderar sobre os anos que se passaram e relembrar que passei por muitas aventuras, histórias, coisas que gostaria de contar, coisas que preferiria esquecer por completo.
Minha companheira depressão me acompanha desde um bom tempo. Desde quando eu me cortei aos 12 anos até hoje. Há dois dias ela veio me visitar para dar os parabéns, hoje ela já foi embora pois entendeu que o melhor presente seria me dar sossego.
Já tenho idade de homem maduro. Mas às vezes tenho comportamentos de que me envergonho.
Queria ser mais ponderado e comedido. Queria ter mais paciência. Queria respeitar mais o espaço dos outros. Queria ouvir mais. Não queria ser tão ligado a coisas e pessoas. Queria lidar melhor com despedidas e perdas.
Posso ir de amável a detestável em questão de poucas frases. Isso é quase um dom. Do tipo que vou morar para sempre no coração e logo em seguida é melhor esquecer.
Em 2016, consegui a façanha de fazer com que 600 pessoas passassem a virar a cara para mim, só em minha cidade. No mundo, são 7 milhões! Quem me conhece sabe o porquê.
Mas tenho a Sport Life para salvar minha vida, juntamente com o programa de TV e da rádio Interativa FM 106,3.
Tenho meu livro, que tenho certeza que será um sucesso... quando terminá-lo. Estou sofrendo com esse livro, o leitor nem imagina!
E minhas palestras! Foi a melhor coisa que comecei a fazer em 2016. Agora, 2017 será meu ano.
Envelheci, mas não vejo que cresci na mesma proporção. Amadureci em meus textos, e este blog é a menina dos meus olhos, com quase 90 mil visualizações.
Mas acho que o melhor de tudo foi continuar humano. Não quis me tornar mito. Não quis impressionar. E tudo o que eu queria no dia de hoje era ter um dia só para mim (um dia por vir), a fim de que eu conseguisse transformar paixão em amor e assim não sofrer. Ah, se eu pudesse explicar em detalhes!