quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Pedindo pra sofrer

Tem gente que realmente pede para sofrer, justamente porque se recusa a enxergar as oportunidades que surgem em suas vidas, quer pequenas, quer grandes. Como se fisgasse um peixe de dois quilos e solta, porque quer pegar um de cinco. E acaba morrendo de fome.
O comércio em minha cidade, Espírito Santo do Pinhal, tem muito disso. Empresários não investem em palestras motivacionais porque acham que seus funcionários têm a obrigação de estarem felizes, afinal "em momento de recessão, eles têm emprego".
Outros não enxergam um palmo à frente do nariz de oportunidades de investir muito pouco e ganhar uma grande divulgação. Esquecem que a alma do negócio, dizem, é a propaganda.
Talvez satisfeitos pelos seus pífios resultados, acreditam que não precisam crescer mais. Empreendedorismo passa longe desses.
Invistam no ser humano, senhor comerciante, senhor empresário, senhor "empreendedor". Em tempos de crise, é este seu melhor investimento. Você não precisa de funcionários, precisa de colaboradores.
Investir em propaganda também faz o negócio prosperar.
Um funcionário motivado, sorrindo, disposto a solucionar os problemas do cliente é um agente positivo, que atrai pessoas, que atrai dinheiro para a empresa.
Agora, se o patrão o trata como detalhe, o cliente para ele também será detalhe e os lucros serão aqueles miseráveis que você está acostumado.
Invista em seu pessoal, dê a eles reconhecimento, condições de trabalho e um sorriso. Eles com certeza darão em troca dedicação, trabalho bem feito e sorriso aos clientes.
Mas alguns pedem para sofrer. A esses, deixo a frase do empresário americano Robert Karch: "Nem todas as empresas precisam investir em qualidade de vida, promoção de saúde ou coisa parecida. Só aquelas que querem ser competitivas no século XXI".